1749

Prefeitura de Lafaiete Coutinho

Pular para o conteúdo

Visão Geral

Visão Geral

Bandeira Bandeira do Município
Brasão Brasão do Município
  • Aniversário: 20 de fevereiro
  • Fundação: 20 de fevereiro de 1962
  • Padroeiro (a):São Roque
  • Gentílio:
  • Cep: 45215-000
  • População: 3901 (estimativa)
  • Prefeito (a): ()
    -

Geografia

Área da unidade territorial [2019]: 498,110 km²
Esgotamento sanitário adequado [2010]: 37,2 %
Arborização de vias públicas [2010]: 65,6 %
Urbanização de vias públicas [2010]: 4,5 %
Bioma [2019]: Caatinga;Mata Atlântica
Sistema Costeiro-Marinho [2019] Não pertence

População

População estimada [2019]: 3.724 pessoas
População no último censo [2010]: 3.901 pessoas
Densidade demográfica [2010]: 9,62 hab/km²

História

O município foi criado com territórios do distrito de Três Morros e com parte de territórios dos distritos de Lajedo do Tabocal e de Maracás. Desmembrado de Maracás, com a denominação de Lafayette Coutinho. A cidade antes era conhecido como Baixa Alegre, devido ao caráter alegre e festeiro de seus moradores, sendo comum a profusão de festas como a do Reisado, a do padroeiro São Roque, as de São João e vários bailes, inclusive atraindo moradores das localidades vizinhas. E quando não mais tinham motivos para comemorar, os inventavam.

Junto ao potencial festeiro da chamada Baixa Alegre vivia ali uma comunidade muito religiosa. Eram em maioria católicos romanos que não aceitavam na comunidade, outras religiões ou outras interpretações de sua religião. A chegada de famílias protestantes desencadeou, juntamente com a chegada de mais uma missão de Bispos, as chamadas “Queimas de Bíblia”. A primeira foi realizada em 1940 e a última em 1984; os Bispos mandaram botar em frente à Sé Católica todas as Bíblias das famílias protestantes e lhes tocaram fogo.

Apesar da alegria e da fé do povo de Baixa Alegre, a comunidade passou por tempos de dificuldades. A seca contribuiu, como as de 1937 – 1938 e 1940. A água era negociada com a família Lopes, em cujas terras estava a fonte mais abundante e menos distante da comunidade, a maioria dos empregados vivia como diaristas (bóias-fria).

No início da ocupação das terras municipais, a economia girava em torno de lavouras de Café, Mamona, Fumo e Farinha de Mandioca. O escoamento dos produtos era feito através da estrada de ferro Nazaré das Farinhas/Jequié, inaugurada no início do século, com parada obrigatória na Estação do Baixão, onde tropeiros se reuniam para embarcar suas mercadorias e onde também era a parada para o transporte de pessoas e para a comunicação através dos correios. Mais tarde Baixa Alegre teve seu nome mudado para Vila dos Três Morros (Morro Alto, da Cruz e do Sabino),devido a sua situação geográfica, já como distrito de Maracás. Desmembrada de Maracás teve sua emancipação política a 20 de Fevereiro de 1962, na gestão do governador [Juracy Magalhães], pela lei número 1619, publicada no Diário Oficial do Estado em 1 de Março de 1962. Seu topônimo é uma homenagem ao médico paraibano radicado desde os tempos de estudante de medicina, em Salvador, e depois professor catedrático da Faculdade de Medicina da Bahia, Lafayette Coutinho de Albuquerque, (casado desde 1934 com a baiana Maria Francisca de Araújo Góes (Dona Chiká) com quem teve uma filha (1937) Lenise),secretário de agricultura e depois secretário de segurança do Estado, falecido inesperadamente aos 52 anos, de infarto fulminante, aos 6 dias de setembro de 1959. O bairro centro é o mais velho da cidade.

Apresenta 37.2% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 65.6% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 4.5% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 133 de 417, 218 de 417 e 214 de 417, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 2784 de 5570, 3369 de 5570 e 3588 de 5570, respectivamente.

Letra do Hino

Lafaiete tu brilhas como o sol
Tua gente tem mais valor
Tu és a minha flor o meu jardim
Tu és o meu amor
Das três pedras as três dimensões
Dos Três Morros
A nos proteger
Lafaiete Coutinho.

Nos verdes nos recantos dessas matas
O teu céu é mais azul
Nos coregos e os rios que te banham
O famoso Jaguari
Das três pedras as três dimensões
Dos três morros a nos proteger
Lafaiete Coutinho
os rios que te banham
As pedras te protegem
Do povo que te amam
As tuas terras férteis
Lafaiete Coutinho

Entre morros e serras imponentes
Surgem as riquezas naturais
Espécies vidas reluzentes
A fauna e a flora se refazem
Baixa alegre eu nasci
Te Amo com fervor
Triangular a dimensão
És tu o meu amor

O café tua riqueza
O leite é o teu pão
O mel que te adoça
Esse é seu brasão
Sabino, morro Alto
Da Cruz a referencia
Lafaiete do nosso coração

Áudio do Hino